Category Archive: poesia na tabacaria

um poema de José Ángel Cillernelo

por

Um senhor de azul e de barba por fazer. Aproveita a época baixa, o desdém de algum jovem desiludido para tentar, uma vez mais, o amor. Passeia sem ninguém a acompanhá-lo. Dorme pouco.… Continuar a ler

Johnny Depp

por

David Mourão-Ferreira

por

Joe Strummer

por

Julio Cortázar

por

LOS AMIGOS En el tabaco, en el café, en el vino, al borde de la noche se levantan como esas voces que a lo lejos cantan sin que se sepa qué, por el… Continuar a ler

Charles Bukowski

por

«The last cigarettes are smoked, the loaves are sliced, and lest this be taken for wry sorrow, drown the spider in wine. you are much more than simply dead: I am a dish… Continuar a ler

um poema de Alice Coelho

por

Quando a noite, de só se acompanha, de ti não sente falta, emergindo do escuro, banhada pelo luar e pelas estrelas, sem que vejas ou encontres o que apalpas na densidade do espaço,… Continuar a ler

dói-me o peito do cigarro do bagaço do catarro do cansaço

por

Clint Eastwood

por

I don’t believe in pessimism. If something doesn’t come up the way you want, forge ahead. If you think it’s going to rain, it will.

do u copy?

por

Humphrey Bogart

por

I’m not good-looking. I used to be but not anymore. Not like Robert Taylor. What I have got is I have character in my face. It’s taken an awful lot of late nights… Continuar a ler

um poema de Ana Maria Domingues

por

a vida é assim, azimute do último resto, porque o resto é também o gesto, a noite, a mão quente, sábia, aberta ao dia, para de resto fazer beijos…

Jack Lemmon

por

«It’s hard enough to write a good drama, it’s much harder to write a good comedy, and it’s hardest of all to write a drama with comedy. Which is what life is.»

do u copy?

por

a importância relativa do nada

por

O começo da dissertação podia ser um problema e, por isso, copiou uma frase da Alice no País das Maravilhas. Para lhe dar embalo. Depois, ainda com o cigarro por acender, desligou os… Continuar a ler

António Nobre «O Meu Cachimbo»

por

Ó meu cachimbo! Amo-te immenso! Tu, meu thuribudo sagrado! Com que, bom Abbade, incenso A Abbadia do meu passado. Fumo? E occorre-me á lembrança Todo esse tempo que lá vae, Quando fumava, ainda… Continuar a ler

do u copy?

por

Johnny Carson

por

“I know a man who gave up smoking, drinking, sex, and rich food. He was healthy right up to the day he killed himself.” Johnny Carson

Oscar Wilde

por

“A cigarette is the perfect type of a perfect pleasure. It is exquisite, and it leaves one unsatisfied. What more can one want?” (Oscar Wilde)

Charles Bukowski

por

um poema de João Ramos

por

assumidamente tuas… para ti… minhas mãos, sem medo de se excederem, entregam-se ao entardecer… ardendo como um sol a poente dos teus seios

red poem

por

I run one hand up her long neck Just touching her makes me euphoric Across her body, my right hand goes I’ve been practicing, believe me, it shows.

genuine wisdow

por

um poema de Carlos Vinagre

por

Concepções medievais em corpos do século XXI. Coisa horrível. E que tal uma actualização? Persiste a estupidez ao fundo da sala perante o enunciado incógnito. O fumo do tabaco sorve a pele. A… Continuar a ler

Pablo Neruda

por

“I always find it more difficult to say the things I mean than the things I don’t.” W. Somerset Maugham (The Painted Veil)

por

da autoria de Dulce Maria Cardoso

por

procuro o maço de cigarros na carteira, fumar mata, em letras enormes, de um lado, do outro, fumar causa o envelhecimento da pele, se por um acaso não morrer, se me der para… Continuar a ler

A Alma

por

Afinal em Vilar do Pinheiro há quem teorize acerca da ganância, dos malefícios do dinheiro e da economia de mercado. Bastou voltar ao velho “Pinha Doce”, junto à estação do metro. Afinal nem… Continuar a ler

Muitos Parabéns, Maria

por

fascina-me a desordem. a revelação do que nunca se conhece. o que se escreve com fundo de braço e cabeça. nunca o cabelo. nunca a boca. nunca a mão. uma pálpebra desconhecida cortante… Continuar a ler

Ópio tenho-o eu na alma.

por

Uma chávena de café, um cigarro e os meus sonhos substituem bem o universo e as suas estrelas, o trabalho, o amor, até a beleza e a glória. Não tenho quase necessidade de… Continuar a ler